15 de ago de 2016

As flores de plástico não morrem, nem as de tatuagem





Olhei até ficar cansado de ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro

Os punhos e os pulsos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
Embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados
Há flores em tudo o que eu vejo

A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas
As flores tem cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes

Flores
Flores
As flores de plástico não morrem

30 de jul de 2016

Florada da cerejeira em Curitiba - Um experiencia sensorial indescritível.


“A sakura é a flor da alma”


Elas sempre florescem no meio do inverno para anunciar que a primavera está próxima. 
São flores cheias de simbolismo envolvendo o amor, a beleza, a renovação e a esperança.
A efemeridade da florada está ligada ao codigo dos samurais. Muitos comparam o pouco tempo que a flor sobrevive à breve vida dos guerreiros orientais



30 de ago de 2014

People Are Strange - The Doors


People are strange, when you're a stranger
Faces look ugly when you're alone
Women seem wicked, 
When you're unwanted
Streets are uneven, when you're down

When you're strange- 
Faces come out of the rain (rain, rain)
When you're strange- 
No one remembers your name
When you're strange, 
When you're strange, 
When you're strange


Entardecer de Agosto


7 de abr de 2014

Meus fotografos preferidos - Lars Van de Goor

Lars van de Goor é um fotógrafo holandês, nascido em Amsterdã em 1964, e seu interesse pela fotografia surgiu recentemente. Em maio de 2007 estabeleceu a sua galeria no Flickr, e os resultados são números espetaculares.
Quem conhece a obra de Lars identifica rapidamente essas florestas, essas estradas, luz ambiente, ...Uma delícia para os sentidos que faz você andar ao longo desses caminhos, sentir o frescor da floresta, respirando o perfume das flores ...











Steel Horses

Wild Horses, couldn't drag me away - Rolling Stones

2 de set de 2013

Entardecer na minha aldeia

DA MINHA ALDEIA vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...
Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver.

   Alberto Caeiro, em "O Guardador
   de Rebanhos"
.

30 de jul de 2013

Sendo como um rio que flui...

Que não resiste a nada, apenas segue o curso, desviam dos obstáculos, para chegar ao mar como havia planejado.

O rio é uma boa metáfora para aqueles que não se deixam vencer pelos obstáculos

3 de jan de 2011

Noites com Sol

Ouvi dizer que são milagres
Noites com sol
Mas hoje eu sei não são miragens
Noites com sol
Posso entender o que diz a rosa
Ao rouxinol
Peço um amor que me conceda
Noites com sol
Onde só tem o breu
Vem me trazer o sol
Vem me trazer amor
Pode abrir a janela
Noites com sol e neblina
Deixa rolar nas retinas
Deixa entrar o sol
Livre será se não te prendem
Constelações
Então verás que não se vendem
Ilusões
Vem que eu estou tão só
Vamos fazer amor
Vem me trazer o sol
Vem me livrar do abandono
Meu coração não tem dono
Vem me aquecer nesse outono
Deixa o sol entrar
Pode abrir a janela
Noites com sol são mais belas
Certas canções são eternas
Deixa o sol entrar

Noites Com Sol- Flavio Venturini

Alto do Pinheirão


Trilha Ecologica - Faz. Placido Transporte

Lagoa de Captação de aguas pluviais - centro da cidade

Nova Campina - Jeito de Mato



Jeito de Mato 

De onde é que vem esses olhos tão tristes?
Vem da campina onde o sol se deita
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita
E dorme serena, no sereno sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas, que o sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda, onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar
Ah..Ah...Ah...

Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas ondas, águas do teu mar
Ah..Ah...Ah...
Ee La Ia

8 de set de 2010

Paisagem da Janela



Da janela lateral
Do quarto de dormir
Vejo uma igreja
Um sinal de glória
Vejo um muro branco
E um vôo, pássaro
Vejo uma grade
Um velho sinal...






Mensageiro natural
De coisas naturais
Quando eu falava
Dessas cores mórbidas
Quando eu falava
Desses homens sórdidos
Quando eu falava
Deste temporal
Você não escutou...





Você não quer acreditar
Mas isso é tão normal
Você não quer acreditar
Eu apenas era ...
Cavaleiro marginal
Lavado em ribeirão
Cavaleiro negro
Que viveu mistérios
Cavaleiro e senhor
De casa e árvore
Sem querer descanso
Nem dominical...




Cavaleiro marginal
Banhado em ribeirão
Conheci as torres
E os cemitérios
Conheci os homens
E os seus velórios
Quando olhava
Da janela lateral
Do quarto de dormir...

Musica: Beto Guedes

Entardecer